São muitos os detalhes que se somam para tornar uma viagem realmente especial e inesquecível - além daquele atrativo inicial, que nos chama a atenção pela primeira vez para saber mais sobre um destino.

Quando se trata da região do Ártico, o que mais atrai os viajantes, é a oportunidade de participar de Caçadas à Aurora Boreal e presenciar esse fenômeno tão peculiar.

Mas, a natureza singular de cada região, a arquitetura, gastronomia, herança de povos nativos, cultura, fauna, e muito mais, se completam e ajudam na escolha de uma ou outra experiência, dependendo do perfil de cada visitante.

E hoje queremos falar especificamente com os viajantes que realmente amam o contato mais direto com a natureza e seus habitantes. Há um personagem muito notável na região do Ártico, considerado um dos ícones das Ilhas Faroé: o Puffin.

Cheio de charme, observá-lo em sua rotina e habitat natural, é uma atividade que realmente encanta os turistas.

Conhecendo os Puffins

Os Puffins, belos pássaros de bico colorido, vivem no hemisfério norte e pertencem ao gênero Fratercula, se dividindo em três espécies diferentes:

  • Fratercula arctica > essa espécie é conhecida por papagaio-do-mar e também por Fradinho, e vive no Oceano Atlântico.

  • Fratercula cirrhata > espécie de nome papagaio-do-mar-de-penachos, mais comuns no Oceano Pacífico.

  • Fratercula corniculata > conhecido como papagaio-do-mar-de-chifres, que vive também no Pacífico.

O papagaio-do-mar vive entre 20 e 25 anos, tem os dedos dos pés unidos por uma membrana que o permite nadar debaixo d’água. Possui o peito branco, e as costas e asas pretas. De asas curtas - medem entre 47 e 63 cm de comprimento - porém fortes, além de voarem também as usam para nadar com mais velocidade, em busca de peixes para se alimentarem.

Eles medem entre 28 e 30 centímetros de comprimento e pesam cerca de 400g. Seu enorme bico detém espinhos na parte superior que ajudam a agarrar os peixes enquanto pesca mais com a parte de baixo.

Curiosidade: O bico, além dos olhos, é a característica mais marcante do Puffin. A coloração dele chama a atenção e brilha sob a luz negra uma vez que suas cores têm tons fluorescentes.

Mas, essas não são as únicas características do Puffin!

Excelentes nadadores e pescadores, estão sempre em busca de alimentos para seus filhotes. São capazes de mergulhar até 60 metros de profundidade para pegar peixes, principalmente merluzas e enguias.

Fazem dez ou mais viagens para fora de seus ninhos, por dia, em busca de peixes - que voltam carregados em seus bicos. São capazes de pescar e carregar até mais de 10 peixes por vez.

Geralmente são vistos sozinhos ou em pares, mas vivem em bandos para se protegerem de grandes predadores. Muitas disputas acontecem entre os próprios papagaios-do-mar para defenderem seus ninhos quando estão em terra.

Mas, é em alto mar que encontram parceiros para, na época de acasalamento, entre os meses de março a maio, se reproduzirem. Para isso, se exibem fazendo sons de arrulho e batendo o bico um no outro.

Esse é o período onde também escavam uma toca onde a fêmea põe seus ovos. O cuidado é através de revezamento, pai e mãe os incubam até chocarem. Quando chocam, é chegada a hora de alimentar a ninhada por pelo menos 40 dias seguidos. A busca por alimentos também é realizada através de revezamento, tanto o pai, quanto a mãe, saem para pescar.

Onde você pode observar os Puffins?

O Puffin pode ser encontrado na costa nordeste dos Estados Unidos, na Groenlândia, Islândia, Ilhas faroe, Rússia e em algumas regiões da Inglaterra e da França. É possível encontrá-la em ilhas rochosas e penhascos próximos ao mar.

Com a Borealis, você pode conhecê-los em dois destinos incríveis:

Islândia

Viajar à Islândia é trazer de volta na bagagem experiências fantásticas. Essa ilha se destaca pela possibilidade de ver o Sol da Meia-Noite, além das chances reais de presenciar as Luzes do Norte.

Mas, também por suas fantásticas geleiras, fiordes, gêiseres, grandes penhascos, cavernas, cachoeiras, lagos de águas quentinhas e muitas formações rochosas.

Os Puffins podem ser encontrados em diversos locais do país, sempre em seus habitats naturais, nas encostas islandesas. Mesmo de longe, é possível avistá-los voando ao mar e de volta à terra firme, sempre em busca das suas próximas refeições.

Ilhas Faroé

Ainda não tão conhecidas pelos visitantes brasileiros, as Ilhas Faroe são um arquipélago formado por 18 ilhas que ficam no meio do Atlântico Norte, exatamente entre o norte da Islândia e o sul da Irlanda.

Compostas por formações rochosas, contém enormes montanhas, fiordes e diversos vales verdes - morada de povoados tranquilos, que vivem em charmosas casinhas coloridas e se ocupam do pastoreio de ovelhas. Uma experiência totalmente diferente do que estamos acostumados.

Sua geografia privilegia a estadia dos Puffins nos enormes platôs, falésias e penhascos das encostas. Aqui no post 8 sugestões incríveis para desfrutar das Ilhas Faroe, você pode conhecer ainda mais atrativos do destino.

Mas, as Ilhas Mykines são a parada perfeita nesse arquipélago para avistar os celebrados Puffins, além de outros animais como focas e gansos indianos. 

A melhor época para visitar a Islândia ou as Ilhas Faroé e poder avistar os Puffins, é no verão (de meados de maio até o final de agosto). E é também durante este período que você poderá presenciar o encantador Sol da Meia-Noite.

Agora que você já sabe como conhecer os Puffins, que tal programar sua viagem ao Ártico? Conte com todo apoio e experiência da Borealis.