Os lagos gigantescos no platô das montanhas que dão lugar a abismos cinematográficos à beira-mar são alguns dos cartões-postais, mas há também fiordes a perder de vista ou vales com gramados verdinhos pontilhados por ovelhas e casas coloridas com tetos de grama. Um cenário de conto de fadas surpreende os raros viajantes que pisam nas Ilhas Faroé, também chamadas de Feroe ou Faroe Islands. Território dinamarquês a meio caminho entre a Islândia e a Escócia, este arquipélago de 18 ilhas está na lista seleta de lugares do mundo onde, com sorte, dá para ver as auroras boreais. Neste trecho do Atlântico-Norte, a geografia de outro mundo é lar também dos simpáticos puffins, os papagaios-do-mar, bons nadadores e mergulhadores, mas desengonçados voadores.

 

Ilhas Faroé